quinta-feira, 7 de maio de 2009

UTILIZAÇÃO DAS PLANTAS




PÓ: todas as plantas podem ser transformadas em pó, sem qualquer preparação, como se fazia em Roma. Basta torrar as ervas no forno e depois triturá-las no 123 ou com um pilão. Você poderá sopra-lo sobre uma pessoa ou usá-lo quando quiser num ambiente.

INFUSÃO: derrame uma chávena de água a ferver sobre as plantas. Abafe e deixe em repouso durante 10 a 15 minutos, para folhas ou partes tenras. As raízes devem ficar abafadas durante uma hora. Tome em média 3 chás por dia.
Obs.: para retirar o sumo das plantas ela pode ser socada.

DECOCÇÃO OU COZIMENTO: indicado para sementes, cascas de árvores e frutas duras. Coloque a quantidade necessária de água fria sobre as plantas e deixe cozer em fogo baixo. As raízes e os talos devem ser cortados antes em pequenos pedaços e fervidas de 15 a 30 minutos. As folhas ou partes mais tenras, levam de 5 a 10 minutos. Depois deixe repousar o chá por alguns minutos, coando em seguida. Tome em média 3 chás por dia.

MACERAÇÃO: amasse a planta e coloque num copo de água, durante a noite. No dia seguinte, coe e tome a água, aos poucos.
Obs.: a maceração pode ser feita em qualquer substância fria: água, leite, vinho ou uísque.

TINTURA: (antigas garrafadas); a partir da maceração, é possível fazer tinturas de quase todas as ervas. O mais importante é manter em vidro âmbar ou armários escuros. Para preparar, basta misturar 3 partes de ervas com álcool de cereais (de milho ou uva) ou ainda 6 partes de álcool e uma de água destilada. Deixe de molho até a tintura ficar pronta. Este prazo pode variar entre 7 e 20 dias. Tome 1 colher de chá, em meio copo de água, 3 vezes ao dia.

POMADA: as pomadas, em geral, são feitas a partir de tinturas. Para isso, deve-se misturar partes iguais das tinturas, com vaselina e lanolina. Nesta ordem 1 de tintura, 1 de vaselina e 1 de lanolina. Manuseie sempre com a espátula evitando o contacto com as mãos, para não levar impurezas para as pomadas.

CATAPLASMA: ervas secas, ao natural, aplicadas directamente sobre o local afectado ou plantas socadas ou trituradas até formar uma pasta. Aplique directamente sobre o local afectado, entre panos finos, ou ainda com argila verde ou rainha.

UNGUENTO: medicamento à base de gordura hidrogenada. Deve-se misturar a erva socada com a gordura, deixar o conteúdo em banho-maria aproximadamente 3 horas. A mistura vai estar pronta quando estiver com uma aparência homogénea.

COMPRESSAS: humedeça um pano no chá quente, torça para retirar o excesso e aplique sobre o local afectado. Nunca deixe a área de aplicação descoberta. A compressa deve ser feita com dois panos, na retirada de um é colocado o outro.

GARGAREJO: use a infusão ou decocção coada, três vezes por dia. Em jejum, pela manha, à tarde e imediatamente antes de dormir.

INALAÇÃO: quando começar a soltar o vapor da fervura, faça a inalação com a ajuda de um funil de papel.

XAROPE: ferve 1 litro de água com 800 gramas de açúcar. Deixe ferver, mexendo de vez em quando, até engrossar. Coe num pano grosso ainda quente. Tome 1 colher de sopa ao dia.

SUCO: os sucos podem ser preparados em centrifugas, no 123 ou manualmente. São muito ricos em vitaminas e sais minerais, porém, como a sua validade é curta, devem ser tomados sempre frescos, nunca preparados com antecedência.

BANHOS: através dos banhos de ervas a pele é estimulada, purificada e massajada pelas substâncias nelas contidas. Faça um chá por infusão, na proporção de uma mão cheia de ervas para 1 litro de água.

TISANA: ponha água na panela e, quando estiver fervendo, acrescente as ervas. Deixe repousar mais uns 5 minutos e tire do fogo. Deixe alguns minutos, sempre com a tampa e depois coe. Está pronta a tisana.





http://www.comunidade-espiritual.com/profile.php?sub_section=view_blog&id=111&sub_id=3392



Samantha

Related Posts with Thumbnails

Tarot

Seu DESTINO através do TARÔ

Minha Comunidade de Consultas no antigo Orkut.

The Rider Waite Tarot

Meu baralho preferido - by Waite, Arthur Edward - US GAMES SYSTEMS

Classic Tarot

Meu baralho preferido - by Carlo DellaRocca - Lo Scarabeo